AGU assume defesa de Bolsonaro e da ex-funcionária ‘Wal do Açaí’ em ação sobre suposta contratação ‘fantasma’

Alan Santos/PR

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Ministério Público Federal argumenta que Walderice Santos da Conceição nunca esteve em Brasília entre 2003 e 2018, período em que era secretária do então deputado federal

Advocacia-geral da União (AGU) apresentou uma defesa conjunta para o presidente Jair Bolsonaro e para Walderice Santos da Conceição, conhecida como “Wal do Açaí”, em ação de improbidade administrativa apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF). Na justificativa para representação, a AGU disse que os fatos narrados aconteceram enquanto Walderice era servidora pública e, por isso, ela pode ser defendida pelo órgão. A ex-secretária é suspeita de ser funcionária fantasma no gabinete de Bolsonaro quando ele ainda era deputado federal. Segundo o MPF, Wal do Açaí nunca esteve em Brasília entre 2003 e 2018, período em que supostamente era secretária no gabinete de Bolsonaro na Câmara dos Deputados. Na defesa, a AGU argumenta que Walderice não tinha obrigação de trabalhar presencialmente em Brasília e que não precisava ter qualificações técnicas e específicas para exercer o cargo de secretária parlamentar. Segundo a Advocacia, o Ministério Público Federal não foi capaz de demonstrar as condutas ilegais do presidente e da ex-funcionária e, por isso, a denúncia deve ser rejeitada.

Fonte Jovem Pan News
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.