Inflação fica em 1,06% em abril, a maior para o mês desde 1996

Mulher em supermercado; IBGE divulgou os resultados do IPCA de abril Foto: Dida Sampaio/ Estadão

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Setores de alimentação e bebidas, com alta no consumo em domicílio, e transportes, com gasolina subindo 2,48%, impulsionaram resultado

Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial no País, ficou em 1,06% em abril, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados nesta quarta-feira (11). Este é o maior IPCA para o mês desde 1996, quando ficou em 1,26%.

Os maiores impactos na inflação deste mês vieram dos setores de alimentação e bebidas transportes. Juntos, os dois grupos contribuíram com cerca de 80% do IPCA de abril.

O setor de alimentação e bebidas apresentou a maior variação no mês (2,06%) e teve o maior impacto no IPCA (0,43 p.p.). O resultado foi impulsionado pela alta de consumo em domicílio (2,59%). A maior contribuição (0,07 p.p.) dentro do grupo veio do leite longa vida, cujos preços subiram 10,31% em abril. 

Os itens de transportes tiveram 1,91% de alta e 0,42 p.p. de impacto na inflação, puxados pelo preço dos combustíveis (3,20% e 0,25 p.p.). A gasolina subiu 2,48% e exerceu impacto de 0,17 p.p. no índice do mês. Houve altas também nos preços de etanol (8,44%), óleo diesel (4,74%) e gás veicular (0,24%).

Com o resultado do mês passado, a inflação acumulada em 12 meses subiu a 12,13%. Apenas nos quatro primeiros meses do ano, o IPCA já acumula uma alta de 4,29%. 

Mulher em supermercado; IBGE divulgou os resultados do IPCA de abril Foto: Dida Sampaio/ Estadão
Fonte Estadão
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.