Polícia Civil prende suspeitos por receptação de cabeamento de fibra óptica em MG

Foto: Polícia Civil/Divulgação

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) realizou a operação Fibra Óptica, resultando na prisão em flagrante de três pessoas por receptação qualificada. Os suspeitos estariam atuando na receptação de equipamentos e acessórios utilizados por empresas de telefonia na estruturação de redes. Outros suspeitos também são investigados por furto, receptação e apropriação indébita.

 

Segundo apurado, materiais como bobinas de fibra óptica, tampas de passagem subterrânea, decodificadores e outros materiais vinham sendo furtados de empresas de telefonia de renome e revendido, de forma ilícita, para pequenas empresas que atuam no mesmo ramo.

 

A matéria continua após a publicidade

A PCMG também identificou quatro imóveis, em Belo Horizonte e Santa Luzia, na região metropolitana, que eram utilizados para armazenamento e comércio do material. No decorrer da operação, grande quantidade do material foi recuperado. O valor estimado é de mais de R$ 1 milhão.

 

O delegado Thiago Machado explica que, em um desses locais utilizado para receptação do material furtado, foi identificado que os suspeitos usavam um equipamento para remover marcações das empresas. “Eles adquiriam o cabeamento, raspavam, embalavam, enrolavam em bobina, colocavam plástico e revendiam”, detalhou.

Foto: Polícia Civil/Divulgação

 

 

Machado acredita que o resultado da operação pode minimizar o impacto financeiro tanto das empresas quanto dos consumidores, pois “de uma forma ou de outra, esse prejuízo é repassado pelas empresas na prestação de seus serviços. Então, o consumidor do serviço de telefonia tem acréscimo naquela conta que ele paga, na aquisição do produto ou serviço que ele tem”.

 

O delegado ainda reforça que a equipe da 2ª Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas, do Departamento Estadual de Operações Especiais (Deoesp), dará continuidade às apurações. “As investigações continuam no intuito de identificar de onde vem a subtração desse material. A gente sabe que parte do cabeamento é retirado da própria rede já instalada e também é desviada de funcionários que trabalham nessas empresas, ainda que de forma terceirizada”, detalhou Thiago.

 

 

Tráfico de drogas

 

Durante os trabalhos policiais nos bairros Taquaril, na capital, e São Cosme, em Santa Luzia, policiais civis ainda prenderam dois suspeitos em flagrante por tráfico de drogas. Os indivíduos não notaram a presença da polícia e foram abordados ao comercializar cocaína, droga apreendida durante a operação.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com