MPMG divulga balanço da Operação Probo realizada em municípios das regiões Central e Zona da Mata

MPMG em Viçosa — Foto: MPMG/Divulgação

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio da Procuradoria Especializada no Combate a Crimes Praticados por Agentes Políticos Municipais e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco Zona da Mata), juntamente com as polícias Civil e Militar, cumpriu ontem, 24 de setembro, todos os 13 mandados de busca e apreensão expedidos pela 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG)

 

A matéria continua após a publicidade

Durante a operação Probo, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão em Ponte Nova, quatro em Santa Cruz do Escalvado, dois em Sete Lagoas, dois em Viçosa e um em Manhuaçu. Ao todo foram apreendidos computadores, notebooks, pendrives, agenda, hd, mídias, cheques, contratos e documentos para a investigação. Num dos endereços em Ponte Nova, foram apreendidas ainda oito munições calibre 38.

O objetivo da busca e apreensão é localizar e apreender provas que corroborem a investigação em curso na Procuradoria Especializada no Combate a Crimes Praticados por Agentes Políticos Municipais, envolvendo esquema criminoso relacionado a fraudes em licitação, peculato, desvio, corrupção e associação criminosa, praticados por agentes públicos e empresários.

Prefeitura Municipal de Santa Cruz do Escalvado, um dos alvos da operação do Gaeco — Foto: GAECO/Divulgação

 

Dentre os alvos da operação estão um prefeito, um presidente da Câmara Municipal e empresários atuantes na Região Central e na Zona da Mata Mineira.

Participaram da operação quatro promotores de Justiça, cinco delegados de Polícia, 34 policiais civis, oito policiais militares, 20 agentes do Gaeco, dois servidores do MPMG e um perito criminal.

 

Fonte: Gaeco Zona da Mata

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com