Gasly vence e quebra jejum francês de 24 anos sem vitórias na F1

Foto: XPB Images

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Pierre Gasly venceu o Grande Prêmio da Itália deste domingo (6), realizado no tradicional circuito de Monza. Foi a primeira vitória do francês na Fórmula 1 quebrando o jejum da França, que não via um piloto subir na posição mais alta do pódio desde 1996, quando Olivier Panis venceu o Grande Prêmio de Mônaco com a Ligier.

Um “frustrado” Carlos Sainz terminou em segundo lugar, seu segundo pódio na F1 depois do GP do Brasil de 2019 – quando terminou na terceira posição depois de uma penalidade de Hamilton, mas não subiu ao pódio. Stroll completou o pódio na terceira posição.

 

 

A matéria continua após a publicidade

Mesmo com o fraco ritmo da Ferrari na temporada, que viu Sebastian Vettel abandonar com problemas de freio e Charles Leclerc bater na Parabolica, teve hino italiano no alto do pódio de Monza com a primeira vitória de Gasly, já que a AlphaTauri também tem sua sede na Itália.

Lando Norris, companheiro de equipe de Sainz, foi o quarto colocado no segundo McLaren. Valtteri Bottas completou os cinco primeiros.

Daniel Ricciardo foi o sexto colocado, à frente de Lewis Hamilton – punido com um stop/go depois de entrar nos boxes quando o mesmo estava fechado.

Esteban Ocon, Daniil Kvyat e Sergio Perez completaram os dez primeiros.

Veja como aconteceu a corrida em Monza:

 

Bottas larga mal; Norris pula para a P3

Lewis Hamilton largou bem e manteve a P1, mas não foi o mesmo para seu companheiro de equipe Valtteri Bottas. O finlandês largou mal, perdeu quatro posições e chegou a reclamar de um “furou ou alguma coisa” pelo rádio. A verdade é que Bottas teve um tempo de reação exageradamente grande comparado com os rivais e perdeu várias posições.

Carlos Sainz assumiu a segunda posição, seguido por seu companheiro de equipe na McLaren Lando Norris. O britânico fez uma excelente largada partindo da sexta posição e bateu roda com Bottas para assumir a P3 nas primeiras curvas.

Sergio Perez manteve sua quarta posição, seguido por Daniel Ricciardo, Bottas e Max Verstappen. O holandês também não fez uma boa largada e caiu da P5 para a P7. Lance Stroll, Esteban Ocon e Pierre Gasly completavam os 10 primeiros.

 

Albon penalizado

Alexander Albon foi penalizado em cinco segundos depois de espremer Romain Grosjean na curva 1. Os comissários investigarão a ação e decidiram pela penalidade já que o tailandês “não deixou espaço suficiente” para Grosjean, foi a consideração.

Um toque entre Alexander Albon e Pierre Gasly na curva 1 foi para investigação dos comissários e o piloto da Red Bull recebeu cinco segundos de penalização.

 

Vettel abandona com problemas de freios

Na volta 7, Sebastian Vettel ia sendo ultrapassado pela Williams quando o freio de seu Ferrari falhou na grande reta. O alemão retornou aos boxes e abandonou a corrida.

 

Norris, fora de ritmo, segura pelotão

Norris não conseguia acompanhar o ritmo de seu companheiro de equipe Sainz e passou a sofrer ataques de Perez na volta 9. Lá na frente, Hamilton liderava confortavelmente com mais de cinco segundos de vantagem.

Fora do ritmo também dos rivais, o britânico da McLaren encabeçava o pelotão, todos há menos de um segundo do piloto da frente e podendo usar o DRS. Além de Perez, Ricciardo, Bottas, Verstappen era segurados pelo ritmo de Norris.

Na volta 13, Norris conseguiu abrir 1,5s para Pérez e deixou a confusão para Perez, que era ameaçado por Ricciardo.

 

Verstappen pressiona Bottas pela P6

Alguns giros depois, Verstappen atacava Bottas na disputa pela P6. O finlandês não conseguia mais atacar Ricciardo e, pelo contrário, sofria grande pressão do piloto da Red Bull.

Pelo rádio, Bottas disse: “Não consigo correr com essa configuração de motor”, disse o finlandês. A explicação pode estar na proibição da alteração do modo de motor, dificultando as ultrapassagens do finlandês. Mesmo assim, Bottas manteve a P6.

 

Leclerc é o primeiro nos boxes

Sofrendo pressão de Antonio Giovinazzi na disputa pela 14ª posição, Charles Leclerc foi o primeiro a fazer sua parada obrigatória e voltou com os duros. A Ferrari não conseguia imprimir ritmo suficiente para desafiar seus rivais diretos na corrida.

 

Haas-Ferrari tem falha de motor

Kevin Magnussen protagonizou o segundo abandono do dia, parando seu Haas ao lado da pista com problemas de motor. O Safety car entrou na pista, iniciando uma correria nos boxes para a troca de pneus.

A Mercedes chamou Hamilton logo de cara e trocou seus macios por médios em um pit stop perfeito da Mercedes. A McLaren não chamou Sainz para os boxes logo na primeira volta, deixando o espanhol na pista na P1.

 

Bagunça nas primeiras paradas

O controle de corrida informou que Hamilton e Giovinazzi, os primeiros que pararam nos boxes logo quando o Safety car veio, estavam em investigação por entrar nos boxes enquanto o mesmo estava fechado. Duas voltas depois, o controle de corrida liberou os boxes e todos os outros pilotos vieram para suas paradas, com exceção de Stroll.

Stroll não parou e assumiu a P2, enquanto a Racing Point teve problemas no pit stop de Perez, devolvendo o mexicano na pista na P12.

Depois das paradas e com o sinal verde dado os 10 primeiros eram, respectivamente, Hamilton, Stroll, Gasly, Leclerc, Raikkonen, Giovinazzi, Sainz, Norris, Bottas e Latifi.

 

Leclerc bate forte na Parabolica

No final da primeira volta após a relargada, no giro 27, Leclerc bateu muito forte na Parabolica. O monegasco estampou as proteções na saída de uma das curvas mais rápidas e perigosas da F1. Leclerc perdeu a traseira quando acelerava e foi direto para a barreira de pneus. O Safety car voltou à pista, antes da bandeira vermelha ser agitada. Os pilotos foram para o pit lane para esperar a liberação da pista, que precisou de ajustes nas proteções onde Leclerc bateu.

 

Stop/Go para Hamilton e Giovinazzi

Os comissários informaram a penalidade de Stop/Go de 10 segundos para Giovinazzi. Algum tempo depois, veio a penalidade para Hamilton – que pegou seu patinete e foi reclamar com os comissários, sem efetividade.

Norris também passou a ser investigado por um incidente na entrada dos boxes. O britânico desacelerou demais e segurou seus rivais, provavelmente na tentativa de dar mais espaço para Sainz. Os comissários decidiram por não punir o piloto da McLaren.

 

Relargada parada, algo que não víamos desde San Marino 1994

A bandeira vermelha durou quase 30 minutos. De acordo com os novos regulamentos que entraram em vigor no ano passado, a largada acontece da forma tradicional: volta de formação, os pilotos param em suas posições e é dado o sinal verde. Foi a primeira vez que uma relargada acontece parada desde o acidente fatal de Ayrton Senna, em Imola, no ano de 1994.

Gasly largou muito bem e assumiu a P2, antes de ser o novo líder quando Hamilton parou para pagar seu Stop/Go. Hamilton voltou em último, quase 30 segundos atrás o líder.

 

Verstappen abandona com problemas no RB16

Na volta 31, Verstappen entrou nos boxes e abandonou a corrida. O holandês saiu furioso do seu carro, enquanto a Red Bull não deu informações sobre o motivo do problema.

Alguns giros depois, Sainz partiu para cima de Raikkonen e assumiu a P2 em uma bela manobra do espanhol na curva 1.

 

Retorno de Hamilton aos pontos

Lá atrás, Hamilton tirava a diferença pouco a pouco, mas ainda 24 segundos atrás do líder.

Bottas ultrapassou Raikkonen na volta 26 e assumiu a P5. Gasly liderava por 3,3s, seguido por Sainz, Stroll, Norris e o finlandês da Mercedes.

A Renault não conseguia acompanhar o ritmo das rivais e ocupava a P7 e P8 com Ricciardo e Ocon, respectivamente.

Raikkonen ia perdendo rendimento e com isso posições. Ricciardo passou o finlandês com facilidade e assumiu a P6 na volta 38.

Na volta 39, Hamilton chegou em seus rivais e foi superando um a um. Albon foi o primeiro, na saída da curva 1, antes de passar Russell no mesmo ponto uma volta depois. Grosjean também ofereceu resistência, mas Hamilton colocou por dentro e passou o francês. Latifi, Raikkonen, Perez, Kvyat e Ocon foram superados pelo britânico, que terminou a corrida na P8.

 

Sainz aperta ritmo e se aproxima de Gasly

Lá na frente, Sainz se aproximava lentamente de Gasly e ameaça chegar no francês nas voltas finais. Ambos os pilotos buscando retornar as vitórias de seu respectivo país na Fórmula 1. A última vitória da Espanha foi com Fernando Alonso, também na Espanha, em 2013. Já a França não vence desde 1996, com a última vitória sendo de Olivier Panis no GP de Mônaco.

Na volta 45, a diferença entre os dois era de dois segundos, mas caiu para 1,6s no giro seguinte e ia diminuindo volta a volta.

Na última volta, Sainz conseguiu usar o DRS e partiu para cima de Gasly. Mas não foi o suficiente para impedir a primeira vitória de Gasly na Fórmula 1.

 

Confira o resultado do Grande Prêmio da Itália de F1:

1) Pierre Gasly (AlphaTauri/Honda)
2) Carlos Sainz Jr. (McLaren/Renault)
3) Lance Stroll (Racing Point/Mercedes)
4) Lando Norris (McLaren/Renault)
5) Valtteri Bottas (Mercedes)
6) Daniel Ricciardo (Renault)
7) Lewis Hamilton (Mercedes)
8) Esteban Ocon (Renault)
9) Daniil Kvyat (AlphaTauri/Honda)
10) Sergio Pérez (Racing Point/Mercedes)
11) Nicholas Latifi (Williams/Mercedes)
12) Romain Grosjean (Haas/Ferrari)
13) Kimi Räikkönen (Alfa Romeo/Ferrari)
14) George Russell (Williams/Mercedes)
15) Alexander Albon (Red Bull/Honda)
16) A.Giovinazzi (Alfa Romeo/Ferrari)
OUT) Max Verstappen (Red Bull/Honda)
OUT) Charles Leclerc (Ferrari)
OUT) Kevin Magnussen (Haas/Ferrari)
OUT) Sebastian Vettel (Ferrari).

Fonte F1 Mania
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com