Atlético goleia Patrocinense e enfrentará o América na semifinal do Mineiro

No Mineirão, time alvinegro conseguiu imprimir ritmo desejado pelo técnico Jorge Sampaoli, não tomou conhecimento de um rival pouco entrosado e conseguiu classificação

De cabeça, Nathan abriu o placar para o Atlético logo aos nove minutos do primeiro tempo (Foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Intensidade, ofensividade e controle absoluto do jogo: um time à Jorge Sampaoli. Na terceira partida sob o comando do treinador argentino, o Atlético não tomou conhecimento de um desentrosado Patrocinense e goleou por 4 a 0 na noite desta quarta-feira, no Mineirão, em partida válida pela 11ª e última rodada da fase classificatória do Campeonato Mineiro. Todos os gols foram marcados ainda no primeiro tempo, por Nathan, Guilherme Arana, Savarino e Pedro Rosa (contra). 

 

A matéria continua após a publicidade

 

Com a vitória, o Atlético chega aos 22 pontos e termina a fase classificatória do Estadual no terceiro lugar. Na semifinal, a equipe alvinegra terá pela frente clássicos contra o América, que somou três pontos a mais e ficou uma posição acima na tabela. O outro confronto será entre o líder Tombense e quarta colocada Caldense.
As semifinais serão decididas em duelos de ida e volta, ambos em Belo Horizonte. Os jogos serão disputados neste domingo (2 de agosto) e na próxima quarta-feira (5). Os horários ainda não foram definidos pela Federação Mineira de Futebol (FMF).
Já o Patrocinense somou 12 pontos e conclui a primeira fase do torneio no oitavo lugar. A equipe de Patrocínio conseguiu classificação para o Troféu Inconfidência e enfrentará o quinto colocado Cruzeiro na semifinal do torneio.

Gol atrás de gol

A intensidade e a ofensividade características dos times de Jorge Sampaoli se fizeram presentes logo nos minutos iniciais no Mineirão. Com a bola na maior parte do tempo, o Atlético ocupava o campo ofensivo com oito dos 11 jogadores – só o goleiro Rafael e os zagueiros Réver e Junior Alonso ficavam atrás da linha central por mais tempo.
Rapidamente, a estratégia deu resultado. Estreante da noite, o atacante Keno avançou pela esquerda e cruzou na medida para Nathan cabecear para o gol, logo aos nove minutos: 1 a 0. O segundo saiu do mesmo lado, aos 13’. De volta após cumprir suspensão no empate por 1 a 1 contra o América no último domingo, o lateral Guilherme Arana colocou efeito na bola, que parecia um cruzamento, mas encobriu o goleiro Thiago Passos e parou no fundo das redes: 2 a 0.
Apenas dois minutos depois, aos 15’, Savarino fez o terceiro. Após cobrança de escanteio na esquerda, a bola sobrou para o atacante no lado oposto. Já dentro da área, o venezuelano fintou o marcador e bateu firme, no alto: 3 a 0. O quarto saiu aos 30’. O lateral Pedro Rosa tentou recuar para Thiago Passos, mas errou o cálculo, encobriu o goleiro e marcou contra: 4 a 0.
Mesmo com larga vantagem no marcador, o Atlético seguiu no ataque. Hyoran acertou a trave duas vezes: uma de falta e outra ao aproveitar rebote dentro da área. Nathan, livre, também quase fez o quinto. Sufocado, o Patrocinense teve pouquíssimas oportunidades de pressionar os donos da casa. A finalização mais perigosa partiu dos pés de Victor Rafael, que de fora da área exigiu bela defesa do xará atleticano.
Com a vitória encaminhada, Sampaoli fez três alterações no intervalo e colocou em campo os volantes Alan Franco e Jair, além do atacante Marquinhos. Mesmo com as alterações, o cenário do jogo não mudou. O Atlético continuou no ataque, com as melhores chances de marcar. Logo no início, Marrony e Nathan desperdiçaram boas oportunidades.

O ponto negativo, porém, ocorreu aos 17’. Alan Franco dividiu bola com Wisley no meio-campo. O árbitro Paulo César Zanovelli da Silva entendeu que o equatoriano levantou demais o pé e, por isso, resolveu expulsá-lo.

Mesmo com um a menos, o Atlético não abdicou da bola. A intensidade, porém, caiu – muito em função do desgaste físico dos jogadores, que ficaram mais de quatro meses sem disputar partidas oficiais durante a maralisação decorrente da pandemia do novo coronavírus. No fim das contas, nada de gol na etapa complementar.

ATLÉTICO 4 X 0 PATROCINENSE
Atlético
Rafael; Guga, Réver, Junior Alonso e Guilherme Arana; Allan (Jair, no intervalo), Nathan e Hyoran (Alan Franco, no intervalo); Savarino (Marquinhos, no intervalo), Keno (Otero, aos 14’ do 2ºT) e Marrony (Léo Sena, aos 21’ do 2ºT)
Técnico: Jorge Sampaoli
Patrocinense
Thiago Passos; Emerson (Euller, aos 30′ do 2ºT), Fernando Teixeira, Nilo e Pedro Rosa (Igor Pereira, aos 37’ do 1ºT); Wisley, Thiago Lima (Marcelinho Araxá, aos 20’ do 2ºT) e Magalhães; Danielzinho (Allan Patrick, aos 36’ do 1ºT), Victor Rafael (Henrique, aos 31′ do 2ºT) e Rafael Gladiador
Técnico: Milagres
Gols: Nathan, aos 9’, Guilherme Arana, aos 13’, Savarino, aos 15’, e Pedro Rosa (contra), aos 30’ do 1ºT (ATL)
Cartões amarelos: Léo Sena, aos 32′ do 2ºT (ATL); Thiago Lima, aos 35’ do 1ºT, e Nilo, aos 5’ do 2ºT (PAT)
Cartão vermelho: Alan Franco, aos 17’ do 2ºT (ATL)
Motivo: 11ª rodada do Campeonato Mineiro
Data e horário: quarta-feira, 29 de julho de 2020
Local: Mineirão, em Belo Horizonte
Público: por medida de segurança durante a pandemia da COVID-19, não houve presença de torcedores
Árbitro: Paulo César Zanovelli da Silva (CBF)
Assistentes: Pablo Almeida Costa (FMF) e Magno Arantes Lira (CBF)
Fonte Superesportes
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com