General Heleno diz que pedido de apreensão de celular de Bolsonaro é ‘inconcebível e inacreditável’

Para o ministro do GSI, a atitude ‘poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional’

O General Augusto Heleno é o atual ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) (Fátima Meira/Estadão Conteúdo)

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, afirmou em nota pública à nação, nesta sexta-feira (22), que o pedido de apreensão do celular do presidente Jair Bolsonaro é “inconcebível e, até certo ponto, inacreditável”.

 

A matéria continua após a publicidade

O pedido foi encaminhado pelo ministro Celso de Mello, decano do Supremo Tribunal Federal (STF), à Procuradoria-Geral da República (PGR) junto com um pedido de depoimento do presidente.

Os pedidos constam em três notícias-crime recebidas pela Corte por partidos políticos. Eles pedem desdobramentos das investigações da denúncia do ex-ministro Sergio Moro, que acusa o presidente Jair Bolsonaro de querer interferir na Polícia Federal.

“Caso se efetivasse, seria uma afronta à autoridade máxima do Poder Executivo e interferência inadmissível de outro Poder, na privacidade do Presidente da República e na segurança institucional do País”, escreveu o ministro.


A nota pública termina dizendo que o “Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República alerta as autoridades constituídas que tal atitude é uma evidente tentativa de comprometer a harmonia entre os poderes e poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”.

 

Fonte Rádio Jovem Pan

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com