Carga e veículos roubados de empresa situada em Sete Lagoas (MG), são recuperados pela Polícia Civil

PCMG/Divulgação

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Um prejuízo de cerca de R$450 mil evitado e bens restituídos à vítima. Esse é o resultado de uma ação rápida da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), que recuperou, no último domingo (29), em Várzea da Palma, região Norte do estado, veículos e carga roubados de uma empresa de cabeamento de redes, sediada no município de Sete Lagoas. As investigações apontam que cerca de 12 pessoas estariam envolvidas na ação criminosa.

A matéria continua após a publicidade

O crime ocorreu na noite de sábado (28/3), quando indivíduos encapuzados renderam quatro vigias da empresa e os mantiveram reféns por aproximadamente duas horas. Eles estavam armados com armas de fogo (escopeta, pistola, revólver), facas e facões. Após cortar à cerca da propriedade, o grupo rendeu os vigias e roubou dois caminhões, um veículo (V/W Saveiro) e vários materiais da empresa. Entre os objetos levados, havia pneus, maquitas, furadeiras, multímetros, parafusadeiras, televisores, ar-condicionado, macacos hidráulicos, entre outros.

Imediatamente, após conhecimento dos fatos, uma equipe do Departamento de Investigação de Crimes contra o Patrimônio (Depatri) da PCMG foi até o local, fez os levantamentos e constatou que um dos caminhões se encontrava na cidade de Várzea da Palma. Com auxílio da Polícia Militar, a PCMG localizou um dos caminhões roubados, que estava vazio. No interior de uma fazenda, de propriedade de outra empresa, os policiais encontraram o veículo saveiro, carregado com cabos de cobre, e o caminhão com vários objetos. No local, também foram recuperados vários materiais roubados espalhados pela plantação. No total, estima-se um valor de R$ 100 mil de prejuízo, só em materiais, que foi evitado para empresa. Além dos caminhões, avaliados em 130 mil reais cada um, e o carro, no valor de 50 mil reais, totalizando quase R$450 mil.
Segundo o delegado Gustavo Barletta, responsável pelo caso, os criminosos tinham informações privilegiadas da rotina da empresa, “acredita-se que eles sejam integrantes de uma organização criminosa que pratica roubos de cargas e roubos de empresas na região Central de Minas Gerais. Agimos rapidamente e a celeridade da Polícia Civil foi fundamental para a recuperação dos materiais. As investigações continuam a fim de apurar e prender os envolvidos”, concluiu o delegado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com