Polícia Civil retoma, nos próximos dias, perícia em cervejaria Backer

0 90

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) retoma, nos próximos dias, a segunda fase da perícia que começou ontem (27), no maquinário de produção de cerveja da Backer. O tanque 10 foi esvaziado e o líquido transferido para o tanque 17.
Peritos e investigadores, coordenados pelo delegado Flávio Grossi, da 4ª Delegacia de Polícia Barreiro, vão utilizar uma nova metodologia para a efetivação da limpeza. “Esvaziamos os tanques e realizamos uma primeira limpeza padrão, como se lá tivesse somente a cerveja, mas não foi suficiente para limpar. São necessários produtos específicos para a retirada do produto químico”, explicou.
Hoje os tanques foram lacrados novamente. Ainda de acordo com o delegado, a fornecedora dos tanques está auxiliando na elaboração de uma técnica que possibilite a retirada total de qualquer produto químico do equipamento a ser testado. “Interrompemos a perícia até certificarmos que está tudo limpo. A constatação será feita por meio de exames laboratoriais”, apontou.
Após a efetivação da limpeza, os policiais vão colocar o tanque para funcionar, da mesma maneira que acontecia na fabricação de cervejas. “Vamos observar se há vazamento, se escorre algum líquido e medir a quantidade de substância vazada”, afirmou o delegado.
Após a conclusão da segunda etapa é que será possível determinar sobre a realização ou não da terceira etapa. Ainda não há previsão para a conclusão dos trabalhos periciais.
As investigações chegam a 55 dias. Mais de 40 pessoas já prestaram depoimentos, dentre vítimas, familiares e outras testemunhas. Os laudos dos exames realizados em amostras das cervejas entregues pelos familiares das vítimas estão em fase final de elaboração. A Polícia Civil investiga 34 casos de contaminação por dietilenoglicol. Seis pessoas foram a óbito. Duas não foram necropsiadas. Dentre as outras quatro vítimas fatais, foi constatada a presença de dietilenoglicol no sangue de uma delas. O sangue das outras três ainda é analisado no laboratório do Instituto de Criminalística.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com