Sobem para oito os rótulos da Backer contaminados por substância tóxica; confira quais são

0 48

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

O Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) afirmou, na tarde desta quinta-feira (16), que identificou a presença das substâncias dietilenoglicol e monoetilenoglicol em oito rótulos produzidos pela cervejaria Backer, de Belo Horizonte.

 

 
A matéria continua após a publicidade

De acordo com o Mapa, no total são 21 lotes contaminados, sendo que um deles foi usado para produzir dois rótulos. Além das marcas Belorizontina e Capixaba, divulgadas anteriormente, foram encontradas as substâncias tóxicas nas marcas Capitão Senra, Pele Vermelha, Fargo 46, Backer Pilsen, Brown e Backer D2.
Confira:

Backer contaminadas

As análises são realizadas pelos Laboratórios Federais de Defesa Agropecuária. Todos os produtos fabricados pela marca já estavam e continuam sendo retirados do mercado, por meio de recolhimento feito pela própria empresa e de ações de fiscalização e apreensão dos serviços de fiscalização.
Na tarde desta quinta-feira (16), a Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão em uma distribuidora no bairro Vila Paris, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, que forneceria monoetilenoglicol para a cervejaria Backer. A substância tóxica é usada como anticongelante em serpentinas no processo de produção das bebidas.
Até esta quinta-feira (16), a A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) recebeu 18 notificações. Em quatro das vítimas já foi confirmada a presença do dietilenoglicol, substância encontrada em 21 lotes de oito rótulos diferentes fabricados pela Cervejaria Backer.
Fonte Hoje em Dia

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com