MPMG pede banimento das torcidas organizadas Máfia Azul e Pavilhão Independente dos estádios do país por um ano

Divulgação/MPMG

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Nesta terça, MPMG e polícias Civil e Militar cumpriram mandados de busca e de prisão contra integrantes das duas torcidas
Fim da violência nos estádios e combate a associações criminosas que se passam por torcedores de futebol. Com esse objetivo, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e as polícias Civil e Militar realizaram, na manhã desta terça-feira, 17 de dezembro, a operação “Voz da Arquibancada”. A ação buscou cumprir 20 mandados de busca e apreensão contra as torcidas organizadas do Cruzeiro Máfia Azul e Pavilhão Independente, bem como 16 mandados de prisão contra integrantes delas. Até o momento, oito pessoas foram presas.

 

A matéria continua após a publicidade


Além disso, o MPMG anunciou que fez representação à Federação Mineira de Futebol (FMF) pelo banimento das duas organizadas de frequentarem os estádios de todo o país e o entorno deles, em dias de jogos, num raio de 5 km, pelo prazo de 365 dias. Isso significa que nenhuma pessoa poderá se aproximar dos estádios portando vestimentos, faixas, adereços ou material que identifique as agremiações. A promotora de Justiça Vanessa Fusco, da 14ª Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor, disse que os órgãos de segurança do estado estudam novas medidas e tecnologias para dar efetividade às determinações.
As duas organizadas são apontadas como responsáveis por diversos episódios de violência nos estádios nos últimos meses. No dia 8 de dezembro, na última rodada do Campeonato Brasileiro, no jogo entre Cruzeiro e Palmeiras, houve tumulto e depredação no estádio do Mineirão e no seu entorno. A Máfia Azul é apontada como a principal responsável.
Conforme o MPMG, esses confrontos têm gerado grave perturbação à ordem pública, danos ao patrimônio público e privado e colocado em risco a integridade física de torcedores comuns e de toda a população. Diversas tentativas de conciliação entre as organizadas foram tentadas pelos órgãos de segurança, porém, sem êxito.
Entre os crimes investigados pelo MPMG envolvendo integrantes das duas torcidas estão associação criminosa, tentativa de homicídio, lesão corporal, dano ao patrimônio, ameaça e
tumulto.
Os mandados são cumpridos em Belo Horizonte, Contagem, Betim, Vespasiano, Ribeirão das Neves, Barão de Cocais e João Monlevade.
Divulgação/MPMG
Divulgação/MPMG
Com Informações do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG)
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com