Servidores da segurança recebem primeira parcela do 13º no próximo sábado (21)

Demais categorias precisarão aguardar a venda dos recebíveis da Codemig

Agentes da segurança bloquearam os dois sentidos da MG-010 em 22 de fevereiro Foto: Cristiane Mattos

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Os servidores da segurança pública do Estado vão receber a primeira parcela do 13º salário de 2019 no próximo sábado (21), independentemente de o governo conseguir ou não realizar a operação financeira para pagar o salário-extra para todo o funcionalismo público. A garantia foi dada pelo secretário de governo, Bilac Pinto (DEM), que citou o acordo feito pelo Estado com a categoria em novembro.

 

A matéria continua após a publicidade

“O compromisso que foi feito é que a primeira parcela vai ser para a segurança pública, independente da operação do nióbio”, reforçou, ponderando, no entanto, que o Estado ainda trabalha para que todos os servidores possam receber o salário-extra em 2019. “Nós ainda estamos trabalhando conceitualmente para que a operação (de venda) do nióbio possa acontecer. Temos aí uma série de itens a serem cumpridos. Em acontecendo, temos a intenção de pagar o 13º de todo funcionalismo público de Minas. Na possibilidade de uma eventualidade disso não acontecer, temos um compromisso, efetivamente dentro do que for possível, de pagar o 13º do funcionalismo dentro da capacidade do Estado”.
O acordo com os servidores da segurança foi feito em novembro. Pelos termos firmados, caso a operação financeira não fosse realizada a tempo, o governo de Minas vai quitar a bonificação natalina em três parcelas: 21 de dezembro, 21 de janeiro e 21 de fevereiro.
Para garantir o pagamento do 13º integral para todo o funcionalismo e acabar temporariamente com o parcelamento de salários, o governo de Minas depende de uma operação financeira que será realizada na Bolsa de Valores. O Estado pretende vender 49% do que recebe com a extração do nióbio por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico (Codemig). Com isso, o governo espera arrecadar ao menos R$ 5 bilhões para cumprir o compromisso com os servidores.
No entanto, a operação ainda é incerta e não há ao menos uma previsão de realização do leilão. Nesta segunda-feira, o secretário de Fazenda, Gustavo Barbosa, informou que o Governo de Minas já enviou à Bolsa de Valores o edital do leilão. O gestor, no entanto, disse que não poderia revelar mais detalhes sobre a operação devido ao processo. “Esse é um ato operacional, ele tem que ser registrado”, resumiu, destacando que o Estado “espera o desdobramento disso” para informar uma data de pagamento do 13º a todos os servidores de Minas.
Fonte O Tempo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com