Criminoso do PCC morto em Santos teria planejado execução de comandante em Sergipe

Capitão Manoel Oliveira chefiava o Pelotão da Companhia Especializada em Operações Policiais em Área de Caatinga (Ceopac) e foi morto em abril de 2018

Criminoso do PCC morto em Santos teria planejado execução de comandante em Sergipe (Foto: Divulgação/ SSP - SE)

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Um dos criminosos que foi morto em confronto com a Polícia Militar, na última quinta-feira (29), em Santos, é suspeito de ter planejado a execução de um comandante em Sergipe.
Capitão Manoel Oliveira comandava o Pelotão da Companhia Especializada em Operações Policiais em Área de Caatinga (Ceopac) e foi assassinado em 4 de abril de 2018. Homens armados, em dois veículos Corolla, abordaram o oficial da PM e efetuaram vários disparos, próximo ao local onde fica a sede da unidade da Policia Militar.

 
A matéria continua após a publicidade

A Secretaria de Segurança Pública do Sergipe (SSP/SE) citou que, cerca de um ano antes da morte do capitão Oliveira, uma operação resultou na prisão de Cleciano Veira Santos, conhecido como ‘Gordo’, de 36 anos. O criminoso foi um dos mortos no confronto da última quinta-feira. “Nessa operação, ele foi preso e, durante a morte de Oliveira, ainda estava preso. Porém, ele era um integrante da quadrilha e participou do planejamento do assassinato do capitão Oliveira, já que o suspeito era integrante da célula criminosa”, complementou o órgão.
Cleciano era integrante da da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Além dele, foram mortos Tadeu Ribeiro dos Anjos, de 26 anos, e Albano da Silva, de 34 anos. Todos ex-presidiários e membros do grupo. Segundo a SSP/SE, todos eram oriundos de Pedro Alexandre, na Bahia, e se organizavam para voltar ao Nordeste e cometer mais homicídios.
A ação policial deflagrada na quinta-feira contou com as participações do Centro de Operações Policiais Especiais do Sergipe (Cope), o 11º Batalhão de Polícia Militar do Sergipe (11º BPM) e a Companhia Independente de Operações Policiais em Área de Caatinga (Ciopac), em conjunto com o 2º Batalhão de Ações Especiais de Polícia da Polícia Militar do Estado de São Paulo (2º Baep) e Delegacia de Investigações Gerais (DIG – Santos).
Histórico de crimes
Na operação que culminou na prisão de Cleciano, em 2017, um dos suspeitos, Úilson Gonçalves de Souza reagiu, armado com um fuzil R15 e uma escopeta calibre 12. Ele efetuou disparos contra os policiais e, diante da reação policial, foi alvejado e veio a óbito. Também foram detidos, à época, Adomarcos Silva Souza, o “Donga”, e Adagilson Nunes de Jesus. A Polícia apreendeu ainda três pistolas: uma .40 e duas .380, além de armas longas e grande quantidade de munição.
O grupo criminoso é responsável pela morte do secretário de Agricultura de Pedro Alexandre, na divisa da Bahia com Sergipe, em junho deste ano. Fredson da Silva Santos foi morto a tiros em um bar da zona rural da cidade. Conforme a polícia, Fredson estava acompanhado de amigos quando um homem atirou contra ele.
Parte dos suspeitos presos em 2017, em conjunto com os localizados nesta quinta-feira, possuíam mandados de prisão em aberto pela morte do ex-vereador Claudeir dos Santos, conhecido como “Pinho de Santa Rosa” (MDB), morto em março de 2017. no município de Poço Redondo; do ex-prefeito do município de Pedro Alexandre, Petrônio Pereira Gomes (PL) e pela tentativa do homicídio contra o vice-prefeito daquela cidade, que teve o carro alvejado por mais de 60 tiros. A vítima sobreviveu e reconheceu os autores. Também estão envolvidos na morte do presidente da Câmara do município de Carira, Jailton Martins de Carvalho, conhecido como “Jailton do Preá” (PP).
Fonte A Tribuna
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com