Operação Tarja Preta cumpre 11 mandados de busca e apreensão

Divulgação/PMMG

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Nesta terça-feira (6), a Polícia Civil deflagrou a quarta fase da operação Tarja Preta, com o objetivo de apurar fraude na aquisição e no fornecimento de materiais hospitalares e medicamentos realizados pelo município de Teófilo Otoni (MG).

A matéria continua após a publicidade

Foram cumpridos 11 mandados de busca e apreensão, sendo dez na cidade de Caratinga e um na cidade de Inhapim. Os suspeitos são dois funcionários públicos municipais de Teófilo Otoni e dois empresários do ramo farmacêutico de Caratinga. A participação de agentes públicos de outros municípios mineiros é investigada.
O nome da operação faz referência a medicamentos de tarja preta, que tem a prescrição e venda regulamentadas por lei, cuja comercialização é controlada, assim como a licitação que é regida por lei e controlada pela Administração Pública.
A operação contou com a participação de um Promotor de Justiça de Teófilo Otoni, nove Delegados de Polícia e 37 investigadores e escrivães das Delegacias Regionais de Polícia Civil em Caratinga e Teófilo Otoni, bem como do Grupo de Apoio Operacional Policial vinculado à Superintendência de Investigação e Polícia Judiciária.
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com