Suspeita de se passar por policial civil usando dinheiro falso é presa em BH

Divulgação/PCMG

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) prendeu Roseli Ramos Soares, 33 anos, no bairro Minascaixa, em Belo Horizonte, na noite de quarta-feira (24). Roseli vinha sendo monitorada pela PCMG após um registro no Disque Denúncia Unificado 181(DDU), de que a suspeita se passava por policial civil e estaria repassando dinheiro falso no comércio da região.

 
A matéria continua após a publicidade

O Chefe do 1º Departamento de Polícia Civil em Belo Horizonte, Delegado-Geral Wagner Sales, ressaltou a importância da denúncia realizada pela população. A participação social foi fundamental para o esclarecimento desse caso e a prisão dessa estelionatária. A ligação do 181 é gratuita e sigilosa, portanto o cidadão de bem pode ligar para o 181 para fornecer informações para que a PCMG possa cumprir mandados de prisão e localizar criminosos. É fundamental a participação da sociedade para o combate ao crime, a Segurança Pública é feita por todos. Isso se caracteriza como choque de ordem, é a participação da sociedade como a extensão dos braços e dos olhos da Polícia, ressaltou.
O Delegado ainda revelou que a suspeita agia com o objetivo de ludibriar comerciantes tanto da capital, quanto da região metropolitana, como nas cidades de Lagoa Santa e Caeté. É uma pessoa conhecida no meio policial e cometia vários crimes, foi apurado que ela não possui uma atividade lícita, vive de aplicar golpes, é uma estelionatária contumaz. Agia nos comércios, fazia compras e passava moedas falsas, recebendo troco em notas verdadeiras e auferindo lucro com isso. E quando passava por alguma dificuldade durante o golpe, Roseli se identificava como policial civil para intimidar a vítima e trazer legitimidade à ação, contou.
Na casa dela foram apreendidas uma carteira funcional, um boné e duas camisas da Polícia Civil, além de uma arma de fogo, dois simulacros de arma de fogo de uso restrito, um carregador, um dispositivo de choque, R$ 3.640 em cédulas falsas, um veículo e R$ 2,3 mil em dinheiro.
A suspeita foi autuada em flagrante por falsificação de documento público, posse ilegal de arma de fogo e falsificação de moeda. A investigação prossegue com o objetivo de identificar outros suspeitos que possam estar agindo com ela. A ação foi realizada pela equipe da 1ª Delegacia de Polícia Civil em Venda Nova, pertencente ao 1º Departamento de Polícia Civil em BH.
Fonte PCMG
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com