Conta de água em Minas tem reajuste médio de 8,38% a partir de agosto; veja os índices por categoria

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A fatura de água e esgoto da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) vai sofrer um reajuste médio de 8,38%, que começa a valer em 1º de agosto. Para o cliente residencial que consome 10 m³ (10 mil litros) mensais, por exemplo, a conta sobe de R$ 72,93 para R$ 81,41, alta de  11,6%. Os impactos sentidos pelos usuários, no entanto, variam de acordo com as categorias e faixas de consumo.
Confira a tabela:
Reprodução/Arsae
Reprodução/Arsae
O reajuste da tarifa foi autorizado pela Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (Arsae-MG) por meio de uma resolução publicada no Minas Gerais em 29 de junho. O índice médio é quase duas vezes o valor da inflação registrada nos últimos 12 meses, 4,94%, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

A matéria continua após a publicidade

Conforme a agência reguladora, em 2019, a receita tarifária base foi reajustada em 4,09% (Índice de Reajuste Tarifário), sendo 3,73% referentes a correções inflacionárias e 0,36% resultante dos incentivos tarifários. Contudo, devido aos componentes financeiros, compostos principalmente por regras definidas na revisão tarifária de 2017, o impacto a ser sentido pelos usuários nesse ano será de 8,38%, em média (Efeito Tarifário Médio).
Os subsídios para investimento na Copanor, subsidiaria integral da Copasa que atende a região nordeste do estado, e os repasses para fundos municipais de saneamento básico (previstos na lei federal 11.445/2007) são os componentes financeiros que também pesaram no reajuste atual.
De acordo com a Arsae-MG, os valores obedecem a critérios de capacidade de pagamento dos usuários da Copasa, mantendo o patamar de comprometimento da renda abaixo de 3% que é o padrão sugerido pela ONU (Organização das Nações Unidas).
Em nota, a Copasa esclarece que os reajustes tarifários anuais têm o objetivo de repor a inflação e proporcionar os investimentos para garantir a eficiência dos serviços. Atualmente, a companhia possui concessão de água em 590 municípios mineiros, operando em 581 deles. Desses municípios, há concessão de esgoto em 253, com operação em 222.
Fonte Hoje em Dia
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com