Cliente de uma rede atacadista de Divinópolis é humilhado e constrangido por funcionários do estabelecimento

Foto: Ilustrativa

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Nesta quinta-feira (27), um homem de 39 anos, compareceu na base de segurança comunitária (BSC) centro, instalada na Praça Benedito Valadares – Praça do Santuário, pra solicitar um boletim de ocorrência relatando do seguinte fato.
Segundo a vítima, por volta das 12h56min, realizou compras em um supermercado, de uma rede atacadista e varejo, localizado na Avenida Autorama Bairro São Judas em Divinópolis (MG); e que passou e pagou pelas mercadorias no caixa e que suas compras foram conferidas, conforme rotina da empresa, por uma funcionária. No momento em que vítima estava com seu carrinho de compras no estacionamento, ele foi abordado por um segurança, que disse ao cliente/vítima que era para ele o acompanhar até o interior da loja, pois a máquina da porta da loja acusou que o solicitante tinha furtado um produto da loja.

A matéria continua após a publicidade

Segundo o cliente, o segurança da loja de forma totalmente despreparada ficou questionando o cliente sobre o suposto produto furtado e sobre o cupom fiscal para ser conferido produto por produto novamente. Esse fato foi em frente aos caixas da loja e de muitos clientes que ali estavam, causando grande constrangimento e vergonha a vítima na frente de todos, pois o cliente havia pago todos os produtos adquiridos na loja.
Ainda segundo o cliente/vítima quando o segurança fez a reconferência de tudo e constatou que não havia sido furtado nenhum produto da loja, na presença do gerente de segurança da loja. Segundo o cliente, o gerente da segurança ao invés de tentar apaziguar a situação, tratou o cliente de forma ainda mais ofensiva e humilhante, o que causou no cliente um abalo emocional, chegando a quase passar mal no local, sendo que os funcionários envolvidos não fizeram nada para ajudar o cliente diante da humilhação e constrangimento, apenas chamaram o sub gerente da loja.
De acordo com o boletim de ocorrência, após o cliente pedir ao sub gerente os nomes dos funcionários envolvidos, o sub gerente virou as costas para a vítima que estava passando mal e o ignorou totalmente, sendo que depois passaram um telefone para o solicitante conversar um suposto supervisor de segurança de toda a rede atacadista, porem o cliente alegou que ficou muito constrangido com o fato e ficou na loja até as 14hs, sendo que foi conferido todos os produtos comprados e nada de anormal foi detectado e os funcionários nem um pedido de desculpas formais deram ao cliente.
Diante dos fatos, foi feito o registro de ocorrência para que a vítima possa tomar as providências pertinentes pela humilhação e constrangimento sofrida diante dentro do estabelecimento comercial, perante ao público.
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com