“Crime Passional” Homem é morto em São Sebastião do Oeste (MG) com a participação da sua companheira

Reprodução/Redes Sociais

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Na manhã desta sexta-feira (21), a Polícia Militar recebeu algumas ligações alegando que teria ocorrido um “tiroteio” na Avenida Senador Kubitschek, em São Sebastião do Oeste (MG), bem na entrada da cidade, e que haveria uma pessoa caída ao solo. Imediatamente a guarnição PM deslocou para o local e deparam com a vítima E. H. S. B; de 21 anos, natural de São José da Laje (AL), deitado ao solo agonizando, estando ao seu lado sua amásia, R. K. O. S; de 22 anos, natural de Itabaiana (SE). Durante uma rápida verificação foi constatado que a vítima ainda respirava com certa dificuldade, logo foi prestado o devido socorro na viatura, onde conduziram a vítima até o pronto atendimento municipal, onde o médico plantonista, constatou que a vítima já estava vindo em óbito.

Os militares iniciaram as diligências para levantar a possível autoria, que inicialmente passaram a lidar com duas linhas de suspeição, a primeira que o homicídio poderia ter se dado por dívida de droga, uma vez que a vítima havia saído da cadeia a pouco tempo, pois teria sido preso em São Sebastião do Oeste por tráfico de drogas e posse de arma.
A segunda linha, que poderia ter sido um crime passional, pois a amásia da vítima demonstrou extrema frieza ao conversar com a equipe sobre o ocorrido, além de que durante o tempo que a vítima esteve preso, sua amásia se relacionou com outra pessoa. Em contato com um irmão da vítima irmão da vítima, ele relatou aos policiais que a mulher estaria se relacionando com outro homem, que provavelmente seria o autor do homicídio. Inicialmente a mulher negou o relacionamento com o autor, porem depois assumiu que tiveram um “lance”, porem depois que a vítima saiu da cadeia não estariam mais se vendo.
Reprodução/Redes Sociais
Reprodução/Redes Sociais
Durante as diligencias chegou ao conhecimento dos militares que seriam dois autores, um claro, que seria G.S.A, 27 anos,natural de Carira (SE) e estaria usando um “blusão branco utilizado por funcionários de uma empresa de São Sebastião do Oeste” e um moreno de estatura mediana, que seria o primo do autor, que reside em São Sebastião do Oeste, de nome, E. S. L; de 18 anos. Após o crime o autor esteve em uma padaria próxima ao hospital, se inteirando da repercussão, enquanto a polícia ainda estava levantando maiores dados.
Os militares conseguiram levantar o endereço do primo do autor; e em contato ele relatou a polícia que teria passado a noite toda bebendo na casa de uma mulher juntamente com o autor e que o mesmo estaria tramando “passar” (matar) a vítima pois iria fugir com a amásia da vítima para o estado de Sergipe. Ainda segundo o primo do autor, G.S.A, decidiu que mataria a vítima nesta sexta-feira (21), e o chamou para lhe ajudar. O primo do autor alegou que sua participação se limitou a se posicionar próximo à casa da vítima, em um ponto de ônibus, e quando a vítima passou por ele, juntamente com a sua amásia, o primo do autor mandou mensagem para o autor do crime, via aplicativo WhatsApp, avisando que eles estariam a caminho e deixou o local.
Divulgação/Polícia Militar
Divulgação/Polícia Militar
Questionado sobre o paradeiro do autor, seu primo disse aos militares que sabia apenas que ele residia em Divinópolis, porém não saberia o endereço, mas que uma prima de ambos, saberia dizer. Ao verificar em seu celular, os policiais constataram diversas conversas entre os três primos falando a respeito do crime que o autor teria praticado. O primo do autor levou os militares até a residência de sua prima, porem ela não se encontrava, mas os militares foram informados que a mulher estaria na zona rural, na comunidade de “Farias”, e conduziu os militares até a comunidade. Em contato com a prima do autor, ela inicialmente se fez de desentendida, porem posteriormente decidiu colaborar, e disse não saber relatar o endereço do autor, porem saberia como chegar.
Os militares deslocaram até Divinópolis, na rua 10 de outubro, bairro Ipiranga, onde foram recebidos pelo autor do crime. Questionado sobre os fatos, o mesmo confessou que teria praticado o homicídio, disse que a amásia da vítima teria lhe passado todas as informações sobre a rotinas da vítima, horários que saia e chegava do trabalho, caminho que percorria, e que somente devido a essa participação dela teria sido possível arquitetar o crime.
Disse ainda que se aproximou pelas costas da vítima e ao engatilhar a arma, uma pistola calibre .380, a vítima se virou, logo ele desferiu diversos disparos, não sabendo precisar quantos. Sobre a arma utilizada no crime, o autor relatou que teria alugado, pagando o valor de R$500,00 (quinhentos reais), porém teria devolvido logo após o fato, disse ainda que não falaria quem teria fornecido a arma, uma vez que caso falasse morreria.
A perícia compareceu ao local e que após realizar seus trabalhos liberou o corpo. Foram constatados cerca de 08 perfurações no corpo da vítima. Foram arrecadados no local do crime 03 (três) estojos deflagrados e (01) um projétil intacto (não percutido) de calibre .380. No corpo da vítima foi arrecado, pelo médico, mais 1 (um) projétil que ficou alojado.
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com