Comandante Geral da PM defende aumento da contribuição previdenciária para os policiais e bombeiros militares, como também faz a defesa do Governo de Fernando Pimentel

Foto Reprodução

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Na tarde desta terça-feira (7), o deputado Sargento Rodrigues denunciou, da tribuna da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, que o uso político da Polícia Militar de Minas Gerais, pelo atual Governo, agora foi oficializado. Às vésperas das eleições, o Comandante-geral da PM dá início a uma agenda de Encontros Regionais, realizados nas cidades sedes das RPM’s, com diárias pagas para todo o seu “estafe”. Logo nas primeiras reuniões, já ficou claro a atuação do Coronel Herbert Figueiró como assessor político de Fernando Pimentel, do PT.

A matéria continua após a publicidade

Em apresentação, o Comandante, em defesa do governo, começa a falar da previdência dos policiais e bombeiros militares e afirma que mesmo se o Governador pagar os R$3 bIlhões, “a conta não fecha”, quando mostra números e faz insinuações dizendo que os militares precisam ter uma contribuição previdenciária maior, dizendo que só contribuem com 11,5% e “joga a culpa” nos reformados, militares da reserva e pensionistas. “Ele se confunde com Cabo Eleitoral de Pimentel e técnico da SEPLAG. Ele deveria defender a instituição com unhas e dentes, mas é o primeiro a jogar contra os militares”, destacou o deputado Sargento Rodrigues.

Veja, abaixo, o pronunciamento do deputado Sargento Rodrigues sobre o assunto.


Ainda durante suas “palestras”, o Comandante Geral afirma, novamente, que se o Governador pagar os R$3 bilhões ao IPSM, os policiais e bombeiros militares teriam que cuidar da rede orgânica que o Governo paga com o tesouro (como se o tesouro do Estado fosse do Governador ou do Coronel). Agora, estão dizendo que a culpa é dos próprios militares. “Quando o Coronel Helbert Figueiró de Lourdes for até a sua região fazer reunião, pergunte se, como comandante, membro nato e Presidente do Conselho de Administração do IPSM, de acordo com a Lei 10.366/1990, que dispõe sobre o estatuto do instituto, se ele tem fiscalizado os desvios criminosos de Fernando Pimentel, do PT”, informou.

 

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com