Mulher morta ao cair da janela já havia denunciado marido por agressão

Jonas Zandoná, 44 anos, foi autuado por feminicídio, homicídio triplamente qualificado por motivo torpe e sem chance de defesa da vítima

JP Rodrigues/Metrópoles

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Jonas Zandoná, 44 anos, foi autuado em flagrante por feminicídio, homicídio triplamente qualificado por motivo torpe e sem chance de defesa da vítima.

A matéria continua após a publicidade

Para a Polícia Civil, o suspeito jogou a companheira do terceiro andar de um prédio residencial na 415 Sul, nessa segunda-feira (6). Carla Grazielle Rodrigues Zandoná, 37, chegou a ser socorrida. No entanto, teve uma parada cardíaca e morreu por volta de 19h35. A vítima já havia denunciado o companheiro por agressão duas vezes. A última, em 2016, na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam).

De acordo com o delegado da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul), João de Ataliba Neto, a mulher tinha marcas de lesão no braço esquerdo. “Não sabemos se é recente. Teremos que esperar o laudo cadavérico e do local para saber o que ocorreu”, disse. Uma testemunha relatou que as brigas entre o casal eram constantes.

Segundo o delegado, uma testemunha viu o momento em que a vítima caiu. A pessoa teria interfonado no apartamento. Jonas atendeu, respondeu apenas “pronto” e desligou. Quando a polícia chegou ao prédio, o acusado afirmou que estava dormindo e não se lembrar de nada. O casal morava com um idoso de 78 anos, que seria dono do imóvel, há 18 anos. Eles residiam há uma década no imóvel. A relação entre os três ainda não foi explicada.

Fonte Metrópoles
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com