Candidato ao Governo de Minas fala em sonho adiado e justifica renúncia: ‘Não podemos correr o risco de errar’

Rodrigo Pacheco anunciou a desistência da candidatura após encontro com Rodrigo Maia

Foto: Riva Moreira

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Com um discurso de “sacrifício de um sonho para o fortalecimento de um projeto nacional”, o deputado federal Rodrigo Pacheco (DEM) oficializou, no início da noite desta segunda-feira (6), a desistência de sua candidatura ao governo de Minas, para apoiar Antônio Anastasia (PSDB). Pacheco confirmou que vai concorrer a uma vaga ao Senado na chapa encabeçada pelo tucano.

A matéria continua após a publicidade

O anúncio foi feito no comitê eleitoral do partido, no bairro Funcionários, Região Centro-Sul de Belo Horizonte, e contou com nomes de peso do cenário político nacional, além de Anastasia, estavam presentes o candidato à Presidência da República, Geraldo Alckmin (PSDB), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), candidato a vice-governador pelo PSDB, Marcos Montes e os deputados federais Domingos Sávio (PSDB) e Raquel Muniz (PSD).

Pacheco explicou como se deu a mudança de postura em relação a sua candidatura ao governo.

“Essa grande composição foi feita em virtude de um grande apelo do meu partido, que, nacionalmente, através de Rodrigo Maia e ACM Neto (presidente do DEM), foi feito para que houvesse em Minas acerais uma convergência alinhada com a disposição nacional, para que viabilizássemos, de mamadeira definitiva, um grande projeto nacional, que é importante não só para p Brasil, mas também para amigas Gerais. Não podemos correr o risco de errar os, de ter um desalinhamento histórico de Minas com o Governo Federal”, completa.
Rodrigo ainda fez questão de afirmar que, apesar da opção de não concorrer ao posto esse ano, ainda vislumbra ocupar o cargo de governador no futuro.
“Esse acordo nacional faz com que, nesse momento, em um ato de desprendimento, adiando o sonho de ser governador, eu o faço para bem do povo do meu estado. É um grande sacrifício, mas, certamente valerá a pena para todos os mineiros. Nosso sonho não termina aqui, ele será apenas adiado”.

Candidato do PSDB ao Palácio da Liberdade, Anastasia fez questão de destacar a atitude de Pacheco de abdicar da corrida ao Governo, em prol de um apoio que se estende até a campanha de Alckmim.

“Quero agradecer o gesto político exatamente positivo que foi dado pelo Rodrigo Pacheco para tentarmos a convergência de Minas. Tenho falado desde o início dessa pré-campanha, no sentido de termos uma convergência entre Minas Gerais e o Governo Federal, e essa possibilidade está cada vez mais próxima”, afirmou.

O DEM afirmou que o PP, o Patriota, o Avante, o PRP, o PTC e o PMB, que iriam apoiar Pacheco na disputa pelo governo, vão compor a aliança com Anastasia, se juntando a SD, PTB, PSD, PPS, PMN e PHS, que já haviam declarado apoio ao tucano.
O outro candidato ao Senado na chapa de Anastasia será Dinis Pinheiro (SD).

Fonte Hoje em Dia
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com