Fortaleza volta a registrar ataques a coletivos pelo 4º dia seguido

De acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Sindiônibus), o veículo pertence ao transporte alternativo de Fortaleza

Com a ação de hoje, chegam a 15 o número de coletivos atacados em Fortaleza e Região Metropolitana ( Foto: VCrepórter )

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Um micro-ônibus foi queimado no fim da tarde desta segunda-feira (30), na Rua Pernambuco, no bairro Pici. Com a ação de hoje, chegam a 15 o número de coletivos atacados em Fortaleza e Região Metropolitana desde a última sexta-feira (27). O veículo fazia a linha Planalto Pici.

A matéria continua após a publicidade

Uma passageira que preferiu não ser identificada, informou que, por volta das 17h30 desta tarde, os suspeitos deram sinal para entrar no veículo. Segundo ela, os suspeitos entraram bno micro-ônibus, apontaram uma arma para o motorista e mandaram todos descer.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), os primeiros levantamentos apontam que três suspeitos renderam o veículo e o incendiaram, fugindo na sequência. Em nota, a Pasta afirma que a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros Militar do Ceará foram acionadas para uma ocorrência e equipes do Batalhão de Polícia de Choque (Bpchoque) realizam diligências para capturar os envolvidos.

 

Série de ataques

Entre a noite de sexta-feira (27) e o domingo (29), pelo menos 14 ônibus e oito imóveis tinham sido alvo das ações criminosas. Na manhã desta segunda, uma granada foi deixada em frente à Delegacia de Defesa da Mulher de Maracanaú. Equipes do Esquadrão Antibombas do GATE foram mobilizadas para o local da ocorrência e detonaram o explosivo numa área próxima à delegacia, sem causar prejuízos materiais ou humanos. Até o momento, três homens foram presos por suspeita de participação nos crimes contra ônibus e prédios públicos.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), a sequência de ocorrências acontece em represália à morte de três criminosos, durante um confronto com a Polícia Civil. Um traficante do Conjunto Alvorada teria dado a ordem para os ataques serem deflagrados. Conforme um policial lotado em uma célula de Inteligência da SSPDS, o criminoso ligado ao Comando Vermelho, que comanda o Conjunto Alvorada, e está preso, seria próximo de Valcinei Nobre dos Santos, o ‘Gangão’; José Sílvio dos Santos Vieira, o ‘Silveira’; e Francisco Adriano Martins da Silva, o ‘Macumbeiro’, que tombaram mortos em um tiroteio, na zona rural de Amontada, na quinta-feira (26).

Fonte Diário do Nordeste
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com