Câmera registra execução de homem em carro blindado com mais de 70 tiros de fuzil

Vítima era procurada pela polícia e já tinha sido condenada a 65 anos de prisão por um roubo a banco

Carro crivado de tiros na Zona Leste de São Paulo (Foto: Reprodução/TV Globo)

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Uma câmera de segurança registrou a execução de Claudio Roberto Ferreira, conhecido como Galo, de 38 anos, na noite desta segunda-feira (23) no Tatuapé, Zona Leste de São Paulo. A polícia investiga se ele integrava a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

A matéria continua após a publicidade

O vídeo mostra o carro blindado da vítima parado na Rua Coelho Lisboa, por volta das 23h. Um homem aparece na diagonal e dispara várias vezes. Em seguida, foge conforme vídeo abaixo.

O carro de Galo estava parado em uma rua quando outros dois veículos se aproximaram. Segundo testemunhas, pelo menos quatro homens armados com fuzis desceram já atirando e depois fugiram. O homem foi executado com mais de 70 tiros de fuzil.

A blindagem do carro de Galo não conseguiu segurar as balas de alto calibre. Ele levou tiros nos braços, nas pernas e na cabeça, chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

No carro foram encontrados mais de R$ 73 mil em dinheiro.

Vídeo

Procurado pela polícia

A vítima era procurada pela polícia e já tinha sido condenada a 65 anos de prisão por um roubo a banco em Guarulhos, em 2008. Claudio deixou a prisão após o Supremo Tribunal Federal (STF) ter concedido um habeas corpus em 2015. No entanto, o HC foi revogado e ele não se apresentou à Justiça, o que o tornou foragido.

De acordo com a polícia, ele estava com um documento falso quando foi morto. O caso foi registrado no 31º Distrito Policial (DP), na Vila Carrão, e deverá ser investigado pelo Departamento de Homicídios como execução.

Claudio Roberto Ferreira, morto após levar mais de 70 tiros de fuzil em carro blindado (Foto: Reprodução/TV Globo)

Outro integrante de facção morto

Em fevereiro, também houve um ataque com tiros de fuzis e metralhadoras contra um integrante da facção criminosa na Zona Leste da capital. Wagner Ferreira da Silva, de 32 anos, conhecido como Cabelo Duro, foi morto em frente a um hotel no bairro Jardim Anália Franco. Duas mulheres ficaram feridas.

 

 

 

Fonte G1
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com