Homem é preso após assalto a apartamento com refém em Praia Grande, Litoral Paulista

Moradora, de 69 anos, foi mantida sob ameaças de morte por cerca de uma e depois foi amarrada no banheiro; quadrilha levou mais de R$ 30 mil, joias e outros pertences

Policiais civis recuperaram R$ 15 mil, joias e perfumes Foto: Divulgação/Polícia Civil

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Um homem de 25 anos foi preso por policiais civis na manhã desta quinta-feira (17) sob a acusação de ter participado, na noite da véspera, de um roubo com uma idosa refém em um apartamento no Canto do Forte, em Praia Grande.

A matéria continua após a publicidade

Cerca de dez ladrões participaram do crime e tinham informações prévias sobre a existência de dinheiro em espécie e joias no imóvel, na Rua Rui Barbosa, onde a idosa reside com o marido, um empresário do ramo de construção civil. Ele não estava em casa no momento do crime.

No quarto do capturado, que é morador do bairro Jardim Quietude, investigadores da Delegacia Sede de Praia Grande encontraram R$ 15 mil roubados do apartamento. No total, mais de R$ 30 mil foram subtraídos no delito, segundo a polícia.

Durante as diligências de apuração do caso, os policiais ainda apreenderam no Jardim Melvi uma pistola e perfumes na casa de um investigado de 34 anos, já identificado, que ainda não foi localizado. No bairro Caieiras, a quadrilha dispensou dezenas de joias, que foram recuperadas pelos policiais.

Placa

Um homem que suspeitou do modo como um Gol prata trafegava no Jardim Samambaia, na noite de quarta, anotou a placa do veículo após ver uma bolsa sendo arremessada do automóvel. Sem saber do assalto, ele comunicou o caso à polícia e, com base na descrição, policiais da Delegacia Sede iniciaram buscas pelo carro e chegaram ao veículo por volta das 11 horas, na Via Expressa Sul, após ele retornar de São Vicente.

Realizaram a abordagem o investigador-chefe da Delegacia de Praia Grande, Alexandre Ventura Júnior, e os policiais Carlos Rocha e José Ricardo da Silva, que agiram sob a coordenação do delegado Carlos Henrique Fogolin de Souza, titular do município.

Ao volante estava a mãe do acusado posteriormente preso no Quietude. Ela disse desconhecer o uso do carro no roubo. Já o filho, ao ser abordado, confessou o envolvimento no crime, e indicou que guardou R$ 15 mil roubados do cofre das vítimas em cima de seu armário.

Uma pistola foi apreendida na casa de um investigado ainda não foi localizado (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

O roubo

Apesar de ter zelador, o prédio invadido não tem porteiro. Os bandidos renderam a idosa às 19h40, após entraram pela porta da cozinha. Eles estavam bem trajados, segundo a vítima, e chegaram a cogitar levar quadros, supondo que teriam alto valor de mercado. Após a idosa dizer que eram assinados por uma amiga, eles desistiram de levar os itens e foram ao local onde fica o cofre e o arrombaram.

Ao fim do assalto, os bandidos levaram a vítima ao banheiro e a amarraram em uma cadeira com fita adesiva e roupas. Uma blusa foi usada para tampar a boca da mulher.

Antes de deixar o apartamento, a quadrilha disse que se a idosa acionasse a polícia voltariam para matá-la. Os bandidos subtraíram ainda o equipamento do prédio que grava as imagens de monitoramento.

Fonte Diário do Litoral
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com