Leilane Neubarth rebate críticas e faz desabafo após pergunta, ‘Policiais de folga devem reagir a assaltos?’

Apresentadora recebeu comentários desagradáveis depois que seu editor colocou a pergunta 'Policiais de folga devem reagir a assaltos?'

(Foto Reprodução)

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Rio – A jornalista Leilane Neubarth recebeu vários comentários negativos depois que uma pergunta sobre policiais de folga foi colocada no ar enquanto ela comandava um telejornal da Globo News.

A matéria continua após a publicidade

Enquanto Leilane apresentava a notícia, na legenda era exibida a seguinte pergunta: “Policiais de folga devem reagir a assaltos?”. O questionamento fazia referência ao caso da PM que estava na escola da filha quando reagiu a um assalto e matou o bandido, em São Paulo.

Muitos internautas e até mesmo a jornalista Rachel Sheherazade, âncora do “SBT Brasil”, comentaram o assunto. Sheherazade chamou a pergunta de “estúpida”.

Leilane Neubarth se defendeu das críticas nesta terça-feira e disse que não sabia sobre a pergunta que estava sendo exibida no ar. “Um editor da sua equipe põe uma tarja, com uma pergunta, em cima do seu rosto e você nem sabe que isso está no ar. Você ouve os maiores impropérios e agressões durante mais de 24 horas. O que você faz? Isto sim é uma pergunta”, escreveu a jornalista no Twitter.

Uma seguidora pediu para que Leilane contasse o nome do editor que colocou a pergunta no ar. “Eu não sou dedo duro e não vou permitir que vocês façam com ele o que fizeram comigo”, respondeu a jornalista.

“As pessoas não querem ler, assistir nem entender nada. Querem apenas odiar. Extravasar seu ódio, sua própria violência interna contra tudo que vem acontecendo nesse país”, completou.

 

Reação Policial: Resposta à Pergunta Estúpida de Jornalistas da Globo News

O episódio em que a policial Katia da Silva Sastre abateu um criminoso que ameaçava mulheres e crianças na porta de uma escola na semana passada teve a repercussão esperada e ensejou, conforme também esperado, a reações canalhas e desonestas da grande imprensa. A militância comunista que ocupa a redação e os estúdios da Globo News criou narrativas questionando a ação da policial usando argumentos falaciosos e cínicos, ignorando até mesmo a legislação vigente.

Em uma dessas narrativas, elaborada para proteger bandido e criminoso e demonizar o trabalho heroico e corajoso da policial, uma militante comunista travestida de jornalista questionou se policial de folga pode reagir a assaltos. Não fosse a canalhice e a desonestidade intelectual da militante-jornalista, ela saberia muito bem que essa pergunta é descabida e sem sentido, pois o Código de Processo Penal Brasileiro, instituído pelo Decreto-Lei 3689/41, diz:

Art. 301. Qualquer do povo poderá e as autoridades policiais e seus agentes deverão prender quem quer que seja encontrado em flagrante delito.

(Policial Militar Age em Legítima Defesa/Foto: Reprodução)

Ou seja, um policial de folga não somente pode, como tem a obrigação de agir para prender quem esteja cometendo um crime em flagrante, pois o fato de estar de folga não retira dele a condição de policial. Ao cidadão comum é dada essa possibilidade, mas não é imposta essa obrigação. Portanto, a policial que abateu o criminoso na porta da escola agiu no estrito cumprimento de seu dever, e não há fundamento legal algum para questionar sua atitude.

A caterva de militantes-jornalistas que, para defender bandidos e criminosos, acreditam que têm algo a ensinar à polícia sobre como deve agir durante um assalto, ou que são desonestos o bastante para inventar questionamentos retóricos e sem base legal à ação da polícia no cumprimento de seu dever, merecem ser ridicularizados e humilhados em público, até que não lhes reste qualquer resquício de reputação ou de credibilidade.

 

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com