Vereadora do Guarujá/SP é suspeita de cobrar parte dos salários de ex-assessor

A denúncia contra a vereadora de Guarujá e um ex-funcionário foi apresentada pelo Ministério Público.

Vereadora de Guarujá nega as acusações de seu ex-assessor. Foto: Facebook/Andressa Sales

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Cássio Serra Sartori, promotor de justiça, denunciou a vereadora de Guarujá, Andressa Sales, e também seu ex-assessor, o “Gordão”, por supostamente terem cobrado parte dos salários mensais de outro ex- assessor dela, o “Japão”, para que ele continuasse com o cargo comissionado. A vereadora e o “Gordão” negaram as acusações. A justiça ainda não se posicionou se aceita ou não a denúncia feita pelo promotor.

A matéria continua após a publicidade

A denúncia esclarece que Japão e Gordão eram funcionários de Andressa durante todo o período de campanha. Ela foi eleita vereadora de Guarujá por ter conquistado 1799 votos, em 2016, e numa reunião na casa dela, Japão e Gordão foram convidados à serem seus assessores parlamentares, desde que eles repassassem à ela cerca de R$3 mil mensais de seus vencimentos, o que teria sido aceito por ambos.

Quando chegou o 13º salário Japão foi cobrado por Gordão sobre os 3 mil reais, o que fez com que ele (Japão) não concordasse. Segundo ele “isso não tinha sido acordado na reunião na casa da vereadora”, o que gerou um desgaste entre ela e ambos os ex-assessores.

No dia 5 de junho de 2017 Andressa exonerou Japão do cargo. Gordão, hoje, também não é mais seu funcionário.

A vereadora justificou a demissão de Japão dizendo que ele “quase não trabalhava” e que isso parece ser uma “retaliação dele em não aceitar a sua demissão ou algum outro político tentando prejudicá-la”.

Fonte Diário do Litoral
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com