Governo maquia estatísticas ao apresentar redução de quase 30% nos crimes violentos em Minas

Trabalho integrado das forças de segurança contribui para a redução da criminalidade

Divulgação/ Secretaria de Segurança MG

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

O número de registros policiais envolvendo sobre violentos em Minas Gerais caiu 29,7% no primeiro trimestre de 2018, comparando com o mesmo período de 2017. De acordo com o levantamento da Secretaria de Segurança Pública (Sesp), por meio do Observatório de Segurança Pública Cidadã, os crimes que mais preocupam a sociedade, como homicídios e roubos, continuam em queda. Foram 25.754 ocorrências de crimes violentos registradas neste ano e 36.636 no mesmo período do ano passado. Sete dos 12 indicadores monitorados pelo Observatório, apresentam redução.

A matéria continua após a publicidade

O homicídio, que é o principal indicador internacional de violência, está em queda em Minas. Considerando o primeiro trimestre, houve redução de 23% no número de vítimas, 27,2% em Belo Horizonte e 21,2% na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

Entre os crimes classificados como violentos, o roubo apresentou a maior diminuição no Estado, de 31,5%. O índice representa uma redução de 10.434 ocorrências. Na Região Metropolitana a queda foi de 28,3% e na capital chegou a 32,3%.

Os crimes classificados como violentos são: homicídio, estupro, estupro de vulnerável, roubo, extorsão mediante sequestro e sequestro e cárcere privado.

A extorsão mediante sequestro, apesar de contabilizar poucos registros, apresentou aumento nos casos durante o trimestre em questão, indo de 16 para 24 no Estado e de 11 para 13 na RMBH. Na capital não houve variação.

No interior do Estado os dados do Observatório mostram que 83,1% dos 853 municípios mineiros não tiveram registros de homicídios consumados, ou mantiveram ou reduziram seus índices em relação ao ano anterior. Quando a análise é baseada no crime de roubo, o estudo aponta 76,9% das cidades na mesma situação de redução ou manutenção do número de registros.

Segundo o secretário de Estado de segurança pública, a redução dos índices se deve ao trabalho integrado das polícias, Sérgio Menezes. “A queda nos índices de roubo e homicídio demonstra a importância do trabalho integrado entre as forças de segurança de Minas, além do diálogo com outros estados, e dos investimentos em tecnologia e capacitação”, aponta o secretário.

Caixa eletrônico

Segundo a Polícia Militar, o crime de explosão de caixas eletrônicos, que afeta principalmente o interior do estado, também apresenta queda. Dados levantados no primeiro trimestre deste ano, apontam que foram registradas 28 ocorrências. O número é 35% menor do que o registrado no mesmo período do ano passado.

Segurança

A criação do programa de instalação de bases comunitárias nos bairros da capital foi fundamental para a melhora nos números da segurança pública. O programa Mais Segurança implementado pelo governo de Minas, colocou à disposição das polícias Civil e Militar 2.026 viaturas. Colocou nas ruas 1.440 novos policiais militares e 92 novos investigadores da Polícia Civil.

Ação conjunta entre estados

Quatro pessoas suspeitas de participarem do roubo às agências bancárias de Passos, no Sul de Minas, no último dia 10 de abril, foram capturadas, em São Paulo. A ação resultou do trabalho integrado entre as polícias e os setores de inteligência dos dois estados. Também foram apreendidos explosivos, diversas armas e grande quantia em dinheiro.

Dados completos

Todos os 12 índices monitorados pela Sesp estão disponíveis de forma transparente, com detalhamentos para todos os 853 municípios mineiros no site www.seguranca.mg.gov.br.

 

Saiba porque o Governo mostra essa suposta redução no número de crimes violentos

Os números apresentados não condizem com a realidade, muitas das ocorrências de tentativas de homicídios por arma de fogo e arma branca/faca, são registradas como lesão corporal.

Sendo assim não entra para as estatísticas de crimes violentos, uma maquiagem que vem sendo feita em todo Estado de Minas Gerais.

Alguns roubos que são praticados por meio de ameaça ou violência, mas sem caracterizar o uso de arma de fogo, também são registrados como furto, crime de menor potencial, os quais não entram para as estatísticas de crimes violentos.

Em ano de eleição, o Governo tenta passar uma realidade que não existe. A redução dos crimes em geral está longe de acontecer, a cada dia as quadrilhas estão mais especializadas no cometimento de diversos crimes.

O tráfico de drogas é a modalidade que mais fomenta a violência no Brasil, é através do tráfico que desencadeia os roubos, latrocínios, furtos e homicídios.

Em ano de eleição todo mundo consegue fazer mágica, para supostamente apresentar bons resultados.

Fonte Hoje em Dia
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com