Foram incediados na tarde deste domingo (22) dois carros que estavam estacionados em frente ao Complexo Penitenciário Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. De acordo com a Polícia Militar (PM), dois homens a bordo de uma moto, modelo Honda CG Titan, quebraram os vidros de um Fiat Palio, jogaram gasolina no interior do veículo e atearam fogo. As chamas rapidamente se alastraram para o carro ao lado, um Honda FIT.

A matéria continua após a publicidade

Segundo o Corpo de Bombeiros, que foi acionado para controlar o incêndio, os dois carros tiveram perda total. A corporação afirma que, como a placa do Fiat Palio não confere com o registro,veículo pode ter sido clonado. A suspeita é de incêndio criminoso e a ocorrência foi encaminhada à Polícia Civil. Até o momento, ninguém foi preso.

Histórico

Entre os dias 12 e 17 de abril deste ano, sete ônibus foram incendiados em Belo Horizonte e na Região Metropolitana. No último caso, registrado no bairro Piratininga, na região de Venda Nova, um dos suspeitos entregou um bilhete ao motorista do coletivo, dizendo que era para as autoridades. Em outra ação, os suspeitos também deixaram bilhetes reclamando das condições do sistema penitenciário de Minas e ameaçando novos ataques. A  a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap)  e a Polícia Civil apuram os casos.

Depois dos incêndios, a Seap passou a controlar as visitas de amigos e namoradas dos detentos da Nelson Hungria, suspeitando que os ataques poderiam ter partido de dentro do presídio. As novas medidas não afetam visitas de parentes de 1º, 2º e 3º graus, além de sogros, genros, noras, cônjuges ou de união estável. Os presos que não possuem familiares cadastrados para visitação poderão receber visitas assistidas de amigos, desde que seja comprovada a afinidade