Lula finalmente se entrega à Polícia Federal para ser preso

Militantes tentaram impedir saída do ex-presidente e ele deixou o Sindicato a pé

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Depois de quase duas horas de tentativas frustradas, carro da PF com o ex-presidente deixa o sindicato por uma rua alternativa.

A matéria continua após a publicidade

Depois de quase duas horas de tentativas da PF para tirar o ex-presidente Lula de dentro da sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, enfim uma das alternativas funcionou: o petista deixou o local à pé, com um cordão humano à sua volta, e caminhou até uma rua alternativa atrás do sindicato. Lá, um carro já o aguardava e agora ele segue para Curitiba, onde começará a cumprir a sua pena.

São Paulo – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou, a pé o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, por volta de 18h42, para se entregar à Polícia Federal (PF) e seguir para a prisão da Lava Jato, cerca de seis horas depois de comício. O comboio que levou o ex-presidente chegou à superintendência da PF em São Paulo por volta das 19h44. Ele deve ser submetido a um exame de corpo de delito antes de embarcar rumo a Curitiba.

Ele vai iniciar o cumprimento da pena de 12 anos e um mês no caso triplex, determinada pelo juiz federal Sérgio Moro, em uma “sala reservada” na sede da PF na capital parananense.

A saída do ex-presidente em um carro cor prata – acompanhado de seu advogado Cristiano Zanin Martins – foi marcada por forte tensão. Militantes postados no portão de saída do sindicato impediam o deslocamento do automóvel onde está o ex-presidente. “Cercar, sentar e não deixar prender”, entoavam.

Lula deixou o carro e tornou a entrar no prédio. Depois, retornou ao carro e deixou o local. Às 18h42, saiu à pé para fora do edifício, em meio à multidão que se aglomera, e percorreu até viatura da PF que estava nos fundos da entidade.

Apesar de o magistrado ter imposto ao petista que se apresentasse até às 17h desta sexta-feira, 7, Lula não arredou o pé do sindicato, onde passou duas noites e fez seu último discurso antes do cárcere.

À espera do ex-presidente, a carceragem da Polícia Federal preparou uma sala especial. Moro vetou expressamente o uso de algemas.

Lula se entrega após quase dois dias de negociação intensa. A PF aceitou aguardar que ele presenciasse a missa em homenagem a sua mulher Marisa Letícia e depois se entregasse.

Na parte da manhã, o ex-presidente fez seu último comício em liberdade, após a celebração de uma missa por Marisa Letícia, ex-primeira-dama que morreu em fevereiro de 2017 e que neste sábado completaria 68 anos.

À sua plateia, ele disse que iria se apresentar à Polícia Federal Ele desafiou seus algozes, da força tarefa da Lava Jato, a apresentarem provas contra ele.

“Vou de cabeça erguida e vou sair de peito estufado de lá”, afirmou, às 12h55, quando encerrou o comício.

Com informações do Estadão Conteúdo

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com