Vândalos promovem quebradeira e pichação em BH em protesto contra prisão de Lula

Vândalos usaram tinta vermelha em prédios e calçadas

Riva Moreira

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Dois prédios de Belo Horizonte foram pichados na tarde desta sexta-feira (6) com frases de protesto contra a prisão do ex-presidente Lula, decretada nessa quinta-feira (5), pelo juiz federal Sérgio Moro.

A matéria continua após a publicidade


Os pichadores usaram tinta vermelha, pintando fachadas e calçadas. Um dos prédios atacados foi o da ministra do Supremo Tribunal Federal, Cármem Lúcia, no bairro Santo Agostinho, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. No chão, foi pintada a frase “Cármen Lúcia Golpista”. As janelas do edifício também foram quebradas.

O prédio do Ministério Público de Minas Gerais, na avenida Álvares Cabral, na mesma região, foi outro alvo dos pichadores, que pintaram a frase “Moro juiz dos ricos”.

No perfil da Frente Brasil Popular, no Facebook, militantes postaram que cerca de 450 manifestantes do MST e do Levante Popular da Juventude atiraram bombas de tintas nos muros e calçadas do prédio.  “Não vamos dar descanso para toda essa corja que deturpa as leis para beneficiar interesses do capital. Assistimos essa semana que o Supremo é tão golpista quanto Temer”, afirmou Miriam Muniz, da direção do MST, no post do Facebook.

O texto traz como título a seguinte frase: “Belo Horizonte escracha a casa de Cármem Lúcia”.

Confira o post:

 

 

Fonte Hoje em Dia
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com