Bolsa sobe e dólar cai no dia seguinte à decisão do STF

Negativa de habeas corpus de Lula, determinada em votação entre os ministros do Supremo, teve reflexo no mercado financeiro

Decisão do Supremo e retaliação de Pequim aos Estados Unidos contribuem para Bolsa reverter perdas do dia anterior (Paulo Whitaker/Reuters)

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A bolsa brasileira abriu em alta na manhã desta quinta-feira revertendo as perdas do dia anterior. A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que negou o habeas corpus preventivo ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, contribui para a valorização do indicador.

A matéria continua após a publicidade

Às 10h14 o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, operava em alta de 2,02% aos 86.061 pontos. O dólar estava em queda de 0,87%, cotado a 3,31 reais.

Por 6 votos a 5, o STF decidiu não conceder ao petista o direito de responder em liberdade até o final do processo em que foi condenado em primeira e segunda instância por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, pela posse e reforma de um apartamento tríplex no Guarujá (SP).

Com a rejeição do pedido, Lula fica diante da possibilidade de um mandado do juiz Sergio Moro determinando a imediata execução da pena, de doze anos e um mês de prisão. Ele não deve ser preso automaticamente, uma vez que ainda tem até a próxima terça-feira para apresentar uma outra espécie de recurso ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), os chamados “embargos dos embargos”.

Além dos fatores políticos, no exterior, as tensões entre Estados Unidos e China aumentaram depois que Pequim respondeu rapidamente aos planos americanos de adotar tarifas sobre outros 50 bilhões de dólares em bens chineses, retaliando com uma lista de taxas similares sobre importações dos Estados Unidos.

Analistas avaliam que, num primeiro momento, o Brasil pode ser beneficiado com a retaliação de Pequim, já que o país é o principal exportador de soja para os chineses e poderia pegar parcela das vendas norte-americanas, segundo maior exportador de soja, para a China.

Fonte Veja
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com